Precificação: como definir o custo e lucro na sua loja virtual

Tempo de leitura: 6 minutos

Mais de um milhão de novas empresas brasileiras foram registradas apenas no início de 2016. Parte desse crescimento recorde está relacionado ao aumento da taxa de desemprego (13% atualmente), em que muitos colaboradores demitidos aproveitam o acerto trabalhista para investir em um negócio próprio.

A maioria desses novos empreendimentos encontra no comércio virtual a sua salvação financeira. É complicado começar um negócio do zero sem dominar o mercado, mas saiba que estipular a precificação adequada da sua loja online ajuda a estrear no segmento com o pé direito!

Confira neste artigo como estabelecer uma precificação eficiente para garantir a saúde do seu comércio eletrônico.

Aprenda a precificar sua loja virtual

Hoje, o Brasil possui mais de 450 mil lojas virtuais funcionando a pleno vapor. Cerca de 76% delas são micro ou pequenas empresas que vendem produtos com valor médio de R$100,00.

Logo, a definição do preço pode ser decisiva para o seu negócio. Porém, muitos empreendedores se sentem confusos entre estabelecer uma precificação competitiva ou angariar uma boa margem de lucro.

Mas não é preciso ser um expert em finanças para se dar bem. Vamos por partes:

  • custos são aqueles gastos com matéria-prima para confeccionar um produto e enviá-lo ao cliente;
  • despesas são valores fixos para administrar seu negócio, como o salário de funcionários e equipamentos de escritório;
  • margem de lucro é a receita da venda subtraindo os passivos e perdas.

Ciente desses conceitos importantes, acompanhe as estratégias abaixo para impulsionar o sucesso do seu e-commerce:

1. Contabilize seus custos operacionais

Os dispêndios relacionados ao negócio devem influenciar no valor dos produtos.

Confira as contas fixas, como assinatura de telefone e internet, água, luz, aluguel (se for o caso), e contabilize o total de vendas que você fez em um mês, por exemplo – ainda que apenas uma estimativa.

Para facilitar, o ideal é elaborar uma planilha para registrar todos os valores. Nela, insira a fórmula para dividir as despesas pelas vendas e multiplique por 100.

O resultado é a porcentagem que cada produto, ao ser vendido, deve contribuir para sanar tais saídas mensais.

2. Descubra o custo unitário por produto

Outro fator extremamente importante é separar os custos unitários de cada produto.

Independentemente se você adquire a mercadoria com um fornecedor para revendê-la em seu site ou se você mesmo produz as peças para comercializar, é preciso conhecer o montante real que cada item demanda.

Vamos supor que sua loja virtual venda cadeiras. Se compra direto com o fabricante, precisa incluir o valor pago para adquirir as cadeiras + o valor do transporte para que elas cheguem até seu estoque.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Se a cada 10 cadeiras compradas você paga R$500,00 + R$20 da entrega, o custo total do volume da compra será R$520 e o valor unitário de cada cadeira será R$52,00 (520/10).

Por outro lado, se você mesmo confecciona as peças, deve incluir no cálculo o tecido utilizado no assento, a madeira ou aço da estrutura da cadeira, as rodinhas e a montagem (contratação de um carpinteiro ou mão de obra terceirizada etc.).

Imagine que o total dos gastos envolvidos na produção seja de R$400,00 para produzir 10 cadeiras. Ora, então você já tem o valor unitário de cada, que é R$40,00. Guarde este dado, pois você precisará dele na próxima dica.

3. Encontre a margem de lucro

Você já descobriu como colocar na ponta do lápis todos os gastos do seu negócio e também aqueles de aquisição ou produção das mercadorias.

Agora, é importante desvendar qual será o valor ideal para cobrir todos os dispêndios e ainda obter lucro.

Ainda no exemplo das cadeiras, suponhamos que seu comércio trabalha com um modelo específico, aquelas destinadas a escritórios (caso ofereça opções diferenciadas, precisará levantar a margem de lucro de cada uma).

Observe este modelo:

Suponhamos que seu percentual de despesas fixas é de 20%, o custo unitário de cada cadeira é R$40,00 e você almeja receber um lucro de 50%.

Isso significa que poderá aplicar a seguinte fórmula:

100% preço de venda é igual a 40 + 20% + 50%, ou: 100% = 40 + 70%.

Em seguida, passe a porcentagem para o lado esquerdo da equação, com o valor invertido, resultando:

100% – 70% = 40 (subtraindo de uma vez, fica 30% = 40).

Até aqui tudo certo? Então vamos encontrar o percentual: 40/30 = 1,333.

Multiplique por 100 (1,333 x 100) e achamos, finalmente, o preço de venda: R$133,33!

Viu como é fácil?! Cada cadeira deve ser vendida pela quantia de R$133,33 para obter o lucro de 50% pretendido conforme o exemplo.

4. Consulte o valor de tabela do mercado

Outra análise relevante é verificar o preço de tabela do produto que você revende. Quanto essa cadeira está custando no mercado? Quem são seus principais concorrentes? Por quanto eles comercializam esta peça?

Caso constate que seu valor de venda está muito acima daquele praticado pela concorrência, e você já possui os produtos armazenados, o ideal é elaborar uma promoção para “queimar o estoque” em vez de deixa-lo encalhado.

Neste caso, diminua a margem de lucro, mas garanta um volume maior de vendas devido ao desconto.

Em seguida, atualize seu valor de venda conforme o segmento e busque vantagens no tempo de entrega e/ou a isenção de frete a partir de determinado valor de compra como diferenciais em relação aos lojistas semelhantes.

5. Recorra à precificação inteligente

Por enquanto você já aprendeu que a precificação pode ser especialmente atrativa para atrair consumidores interessados ou adquirir um lucro que pode rechear seu bolso.

Contudo, existe ainda uma ferramenta excepcional que aumenta o volume das suas vendas de forma bastante significativa: são os preços dinâmicos ou a precificação inteligente.

Esse método consiste na atualização em tempo real do valor de seus produtos baseado em pesquisas dos usuários com palavras-chave e também na quantia que seus concorrentes cobram.

Conforme a variação deles, seu valor também se modifica, priorizando o produto que está sendo mais procurado no momento.

Essa compilação automática de informações relevantes é uma estratégia crucial para garantir a atualização dos preços conforme a disponibilidade dos itens na concorrência.

Se você possui determinado modelo de cadeira que esgotou na concorrência, por exemplo, pode aumentar o valor da mesma.

Em contrapartida, se oferece cadeiras padronizadas que muita gente está vendendo, precisa elaborar um valor melhor que outros comércios para atrair a clientela para a sua loja.

A crise financeira pode ser uma oportunidade de independência, desde que você saiba equilibrar custo e lucro antes de determinar a precificação correta em seu e-commerce.

Gostou deste artigo? Aproveite para deixar um comentário nos contando o que achou e quais são suas dúvidas e sugestões.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *