Quero me tornar empreendedor: quais são os primeiros desafios?

Tempo de leitura: 19 minutos

A cada dia que passa, o mercado oferece menos empregos e mais trabalho. Você entendeu essa afirmação? Isso significa que aquele cidadão com espírito empreendedor — disposto a descobrir um nicho de mercado carente de determinados produtos e serviços — pode abrir seu próprio negócio e encontrar excelentes oportunidades.

Por outro lado, quem pretende continuar contando com uma empresa externa e ser contratado para prestar seus serviços pode experimentar dias difíceis. A automação, a Internet das Coisas e a Indústria 4.0 preveem uma queda significativa nos postos de trabalho, e a concorrência se tornará cada vez mais acirrada.

Em qual desses dois grupos você está? O dos que procuram emprego ou o dos empreendedores? Sente o desejo de abrir sua própria empresa e deixar sua marca no mercado, mas tem um pouco de receio quanto aos obstáculos que pode enfrentar? Não sabe quais são os passos para iniciar um negócio de sucesso?

Então, não perca este post! Vamos falar sobre esses temas e mostrar como você pode realizar seu sonho, conquistar a independência financeira e iniciar um empreendimento agora mesmo. Pronto para começar?

O que é ser empreendedor?

A resposta para essa pergunta pode ser bem filosófica, mas acreditamos que não é isso que você está procurando. Em termos práticos, empreendedor é o indivíduo que consegue olhar para o mercado, identificando oportunidades que os outros não veem para construir seu negócio com o objetivo de atender a essa necessidade ou preencher essa lacuna.

Em outras palavras, o empreendedor é um visionário que inicia um projeto novo. Ele não apenas sonha, mas parte para ação, concretizando seus desejos ao se antecipar e realizar aquilo que as outras pessoas sequer imaginam.

Portanto, ser empreendedor não significa só abrir um negócio. Há muitas pessoas que fazem isso simplesmente copiando os modelos já criados e experimentados por outros indivíduos. No entanto, o empreendedorismo envolve um exercício de criatividade e imaginação, com o objetivo de contribuir para a reinvenção de seu mundo, de alguma forma. Assim, podemos destacar algumas características de quem demonstra esse espírito empreendedor:

  • busca pela autorrealização: mais do que atender a uma necessidade financeira, o empreendedor deseja deixar sua marca, seu legado, e se realizar por meio da atividade exercida;
  • responsabilidade: o empreendedor não quer saber de culpar o empregador, o mercado ou a crise. Ele chama a responsabilidade para si e trata de buscar as soluções para superar obstáculos e vencer;
  • desejo de independência: ele quer colocar em prática suas próprias ideias, ter o direito de testar suas hipóteses e corrigir seus caminhos, mesmo que para isso tenha que pagar um preço;
  • inconformismo: não entende por que as pessoas sempre procuram fazer mais do mesmo, ainda que, com a possibilidade de melhorar. Ele quer o novo, a ruptura, a inovação;
  • paixão pelo novo: ele considera os novos empreendimentos irresistíveis e, por isso, pensa em ideias e meios para implementar alternativas criativas;
  • desenvolvimento constante: o verdadeiro empreendedor não depende do “empurrão” dos outros para se aperfeiçoar. Ele tem um senso fortíssimo de autoavaliação e autocrítica, o que faz com que ele busque incessantemente atingir novos patamares de performance e excelência.

Identificou algumas dessas características em sua personalidade? Isso significa que você pode ser um empreendedor nato, capaz de criar um negócio inovador ou, quem sabe, revolucionar o mercado. Mas não pense que esse caminho não terá obstáculos. O Brasil é um dos países em que os empreendedores encontram diversos entraves à realização de seus sonhos. Quer saber quais são eles e como se preparar para superá-los? Então continue a leitura!

Quais são os principais desafios dos empreendedores?

1. Acertar na escolha do mercado

E se o seu plano já for praticado por milhares de estabelecimentos? Como saber se o mercado já está saturado e não há espaço para novos empreendedores? No caso de uma ideia nova, como saber quais são as chances de ela emplacar e ganhar mercado? Todas essas perguntas têm um ponto em comum: não há respostas simples.

O fato é que escolher um mercado repleto de oportunidades é a primeira escolha do empreendedor — seu primeiro grande desafio. Embora não haja uma resposta única para isso, existem algumas dicas que podem ajudá-lo a fazer essa escolha e se dar bem no mundo dos negócios. Conheça algumas das principais, segundo especialistas:

1.1. Aposte em suas experiências

Muitas pessoas têm vontade de abrir uma empresa, mas não sabem nem em que ramo desejam atuar. O primeiro conselho é pensar nos assuntos que despertam o seu interesse e nas experiências que mais se alinham aos seus gostos pessoais.

Assim, a possibilidade de obter sucesso quando se escolhe um negócio de acordo com seus interesses é maior por alguns motivos:

  • é uma área que você conhece melhor;
  • você sabe quem é o público que compartilha os mesmos interesses e, portanto, saberá como abordá-los;
  • sua paixão pelo assunto tornará os esforços menos cansativos e o trabalho mais prazeroso;
  • você conhece as variações possíveis para a área e os negócios relacionados a ela. Então, fica mais fácil criar um serviço diferenciado.

1.2. Aposte nos desejos e necessidades das pessoas

Também é possível encontrar boas oportunidades ao pensar em serviços que facilitam a vida das pessoas e em necessidades que elas possuem, mas nenhuma outra empresa — pelo menos em sua região — oferece.

1.3. Pense em nichos muito específicos

Hoje, a internet possibilita que as pessoas encontrem praticamente todo tipo de produto ou serviço, em qualquer lugar do planeta, a partir de uma simples pesquisa nos mecanismos de busca mais comuns. O problema é que, quando você oferece o que todo o mundo também oferece, encontra uma concorrência enorme. Muitas vezes, é quase impossível enfrentá-la.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Quer ver um exemplo? Imagine que você resolveu abrir um e-commerce de produtos eletrônicos. Você venderá smartphones, tablets e outros dispositivos que as pessoas procuram e consomem hoje em dia. Há mercado para isso? Com toda certeza! Porém, juntamente com sua empresa, haverá milhares (ou até milhões) de negócios interessados em captar o mesmo cliente, exatamente com os mesmos produtos.

E sabe quem tem maiores chances de fechar esse negócio? Não, não é a sua empresa. São os grandes players do mercado. Isso acontece porque eles negociam quantidades enormes diretamente com os grandes fornecedores e, com isso, conseguem oferecer preços e condições melhores.

O que fazer para se destacar no mercado? A resposta é mudar a sua estratégia de venda de produtos na loja virtual e atender a um nicho — um grupo de pessoas que busca uma solução que a maioria dos comerciantes não oferece. Quando a empresa atua em um nicho de mercado, ela tende a vender para um número menor de pessoas, porém, isso tem algumas vantagens:

  • as margens de lucro geralmente são mais altas, fazendo com que você ganhe mais vendendo menos;
  • há pouca concorrência, pois nem todos pretendem abrir um negócio tão especializado;
  • você não concorrerá com os grandes players do mercado, pois grandes empresas e sites de lojas online não costumam se interessar por essas oportunidades;
  • possivelmente, muitas pessoas não encontrarão esse tipo de produto tão especializado em suas cidades ou regiões e, por isso, há uma carência deles;
  • essas mesmas pessoas podem encontrar o seu negócio na internet para satisfazer a essa necessidade.

Assim, um negócio voltado a um nicho tem a oportunidade de conquistar consumidores do país (ou do mundo) inteiro, com uma concorrência menor e uma margem de lucro maior. Não é perfeito?

2. Vencer a burocracia

Esse é um obstáculo muito conhecido pelos empreendedores brasileiros. De modo geral, iniciar uma empresa exige uma série de ações burocráticas. Por vezes, é preciso aguardar muito tempo até conseguir todas as permissões necessárias para realmente abrir as portas.

A exigência envolve uma pilha de documentos, certificações e declarações. Portanto, antes de abrir uma empresa, saiba que precisará de muita disposição e tempo para visitar todos os órgãos oficiais e conseguir tudo o que eles solicitam.

Para você ter uma ideia, o Banco Mundial fez uma pesquisa com 133 países. Dentre eles, o Brasil foi apontado como o 6º mais burocrático. A abertura de uma empresa demora, em média, 152 dias (praticamente 5 meses) e envolve 17 procedimentos diferentes.

Além de todo esse tempo de espera, os procedimentos são bastante complexos. Caso você não queira abrir a empresa sozinho e deseje se tornar sócio de um amigo, por exemplo, há procedimentos que precisam ser seguidos.

Para não correr o risco de pular alguma etapa e comprometer a abertura da sua empresa, a melhor opção é procurar um contador de confiança e um profissional de administração. Eles podem ajudá-lo para que esse processo, mesmo que demorado, ocorra sem maiores transtornos.

3. Estruturar o negócio

Muitas pessoas que começam um empreendimento são completamente apaixonadas por suas ideias ou ramo de atuação. Você pode ver isso em muitos novos negócios que são abertos e que são a realização do sonho do empreendedor.

É o caso daquela mulher que adora sapatos, lê todos os blogs sobre o assunto, conhece todas as tendências de moda e que finalmente conseguiu abrir sua loja no ramo. Ou daquele cozinheiro de mão cheia que sempre foi o banqueteiro da família e agora resolveu transformar o hobby em profissão.

Porém, após passar aquele período inicial de encantamento com o novo negócio, eles se deparam com uma realidade que vai muito além do que sonharam ou que extrapola os limites de sua área de conhecimento: os desafios relacionados à gestão do empreendimento.

O empreendedor vai perceber que, no dia a dia, suas atividades têm pouco a ver com moda, gastronomia, estética, carros ou qualquer outra paixão que o levou a abrir a empresa. Na verdade, ele passará grande parte de seu tempo executando atividades para as quais não foi preparado (pelo menos, na maioria das vezes), como:

  • contratação, treinamento e orientação de funcionários;
  • administração dos recursos humanos da empresa;
  • gestão financeira do negócio;
  • controle de estoque de mercadorias (quando se trata da venda) ou de suprimentos (em casos de produção);
  • precificação correta para evitar prejuízos e ainda assim se manter competitivo;
  • registro devido das operações comerciais, o que exige um certo conhecimento em contabilidade e das exigências fiscais;
  • atendimento ao cliente;
  • gestão de fornecedores;
  • mapeamento e aperfeiçoamento dos processos da empresa;
  • gerenciamento de conflitos;
  • ações de marketing e captação de clientes.

Essas são algumas das atividades que o empreendedor terá que executar. Muitas vezes, por se tratar da fase inicial do negócio, ele não poderá contar com uma grande equipe para realizá-las. Por isso, é bem comum que ele tenha que acumular várias funções, gerando uma sobrecarga considerável.

Para evitar esses problemas relacionados à estruturação, é muito importante elaborar um plano de negócios. Por meio dele, será possível identificar antecipadamente essas e outras necessidades. Aqui no blog, mesmo, nós já ensinamos a montar um plano de negócios épico. Vale a pena conferir e seguir as nossas dicas!

4. Conseguir capital com empréstimos

Iniciar um negócio pode envolver uma série de custos. Além da implantação, é preciso que o gestor tenha uma reserva para manter a empresa por algum tempo, até que ela alcance os resultados desejados e tenha suas contas equilibradas. Mas como está começando, o empreendedor geralmente não dispõe desse montante.

A solução para a situação seria um empréstimo obtido em condições especiais, considerando que um novo empreendimento também é uma nova oportunidade para a economia do país — uma chance de gerar renda e novos empregos. Porém, essa não é a realidade encontrada pelo empreendedor. Geralmente, as empresas que estão iniciando suas atividades encontram enormes barreiras na hora de obter empréstimos para investimentos.

Para conseguir crédito, o empreendedor se depara com uma lista de requisitos burocráticos. Assim, as exigências para a obtenção do empréstimo costumam ser grandes, e uma empresa iniciante não tem como oferecer as garantias que os bancos impõem.

Por isso, o ideal é que, antes de abrir uma empresa, o empreendedor faça uma reserva de recursos e um bom planejamento. Sobreviver sem empréstimos ao longo do primeiro ano é o melhor para o negócio.

5. Captar os primeiros clientes

Você criou um produto, serviço ou conceito novo, preparou seus canais de vendas, enfim, está com tudo pronto para atender o cliente. Mas, afinal, como eles vão descobrir o seu negócio, apostar na sua proposta e realizar uma compra?

De fato, a captação dos primeiros clientes é um dos principais desafios dos empreendedores. Ela pode até demorar um pouco para acontecer e, por isso, é importante que, principalmente nessa etapa inicial, sua dedicação à divulgação seja tão grande (ou maior) do que com o produto em si.

Para alcançar esse objetivo, uma palavra é fundamental: estratégia. Quer entender o que você pode fazer para encontrar (ou ser encontrado) por esse público e como cativá-lo? Então, confira o nosso passo a passo:

5.1. Conheça seu público-alvo

Quem são as pessoas que provavelmente consumirão seu produto ou serviço? Descubra sua faixa etária, gênero, formação, ocupação, estilo de vida, hábitos de consumo, desejos e necessidades. Trace um perfil detalhado, um verdadeiro dossiê com suas características.

5.2. Identifique de que formas o seu negócio pode ajudá-lo

Agora que você conhece as características do seu público, entenda de que formas o seu produto pode ser atrativo para ele. É preciso que ele atenda a alguma necessidade ou desejo. Também é possível que melhore ou facilite a vida do cliente em algum aspecto.

5.3. Tenha sempre um trunfo

Qual é o seu trunfo? Se o seu negócio é uma loja física, o ponto é seu principal trunfo. Um local movimentado e onde circulam muitas pessoas com o perfil desejado é o ideal para iniciar seu empreendimento. Porém, sabemos que o mercado imobiliário é cruel, e costuma tornar o preço desses imóveis pouco acessível.

Uma excelente alternativa é iniciar o negócio pela internet. Essa pode ser uma opção vantajosa em todos os sentidos, especialmente para quem vai trabalhar com nichos determinados, como já falamos. Ainda assim, nesse caso, você precisa de um outro trunfo. No meio digital, o principal é o conteúdo. Invista na produção de posts de qualidade, que informem o seu público-alvo e eduquem o consumidor em relação a um determinado assunto.

Então, ele encontrará o seu blog ao pesquisar um tema do interesse dele. A princípio, ele vai buscar apenas informações. Depois, reconhecerá seu negócio como autoridade no assunto, conhecerá as soluções que você apresenta e, quando menos esperar, ele se tornará seu cliente!

5.4. Descubra onde encontrar seu público

Você sabe onde encontrar o seu público-alvo? Hoje, a maior parte das pessoas está realmente na internet. Porém, mesmo a rede é um oceano imenso, e é preciso saber onde o seu cardume se localiza para uma pescaria produtiva.

Descubra quais são os principais meios pelos quais seu público-alvo consome informações, os blogs que ele consulta e as redes sociais utilizadas. Publique o seu conteúdo nesses meios e direcione seus anúncios para os canais onde ele está.

5.5. Prepare-se para desbravar o mundo digital

Hoje, a presença virtual é uma questão de sobrevivência. Assim, não basta colocar a sua loja na rede. É preciso conhecer as melhores estratégias para captar o público e direcioná-lo ao seu negócio.

E nada de banners em redes sociais! O usuário está cansado desse tipo de propaganda e já aprendeu a ignorá-la. Invista em produzir conteúdo de qualidade, atender as suas necessidades, desenvolver um relacionamento nas redes sociais e conquistá-lo. Esse é o caminho para o sucesso no mundo virtual!

6. Avaliar a efetividade de suas ações

Em um “emprego normal”, não faltam pessoas para dizer o que, como e quando devemos fazer. Por isso, mesmo que suas ideias não sejam tão compatíveis com o que a empresa pratica, há parâmetros que definem a sua atuação.

Quando você assume a posição contrária nesse jogo, percebe que a realidade é bem diferente. Você tem total liberdade para agir, e isso tem um aspecto muito bom. Porém, o outro lado da moeda é que você está em uma experiência completamente nova e sem ninguém para apontar o melhor caminho.

Isso traz insegurança? Para a maioria das pessoas, sim. O feedback não é oferecido pelos chefes — que já nem existem —, ele vem em um balanço positivo ou negativo ao final do mês, e os erros repetidos podem custar a sobrevivência do negócio.

Por isso, é importante manter-se atento ao que acontece no mercado. Procure ler e se informar em blogs e sites especializados. Busque consultoria em instituições que oferecem apoio ao empreendedor. Se puder, consulte outros empresários e tente reunir a maior quantidade de dados possível antes de tomar uma decisão crítica.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Por fim, peça aos clientes o feedback necessário para ajustar o seu negócio às necessidades de seu público. Pesquisas de satisfação, Net Promotion Score (NPS) e até mesmo um bom papo (quando o negócio permite) vão ajudá-lo a entender o que o cliente quer e conduzir seu empreendimento ao sucesso.

7. Enfrentar a concorrência

Se esse é um grande desafio até para quem já está no mercado há muito tempo, imagine para quem está começando agora e vai enfrentar uma concorrência já estabelecida! O primeiro passo para enfrentar esse obstáculo, portanto, é estudar o “inimigo”.

Logicamente, quando falamos em empresas, a ideia não é declarar uma guerra, mas fazer um bom benchmarking para conhecer profundamente a proposta e a forma de atuação da concorrência. Veja alguns aspectos que você precisa saber sobre os seus concorrentes:

7.1. O que eles oferecem ao seu público-alvo?

Entenda qual é a estratégia do concorrente: ele ganha pelo preço? O produto dele ou o serviço são exclusivos? De que formas ele atende as expectativas do seu público-alvo? Essas informações servirão como base para você planejar uma estratégia que ofereça algo ainda melhor, com a intenção de atrair e conquistar os clientes.

7.2. De que forma eles decepcionam seu público-alvo?

Sim, toda empresa tem falhas. Pode ser na qualidade do produto, no atendimento, no preço alto etc. Descubra o calcanhar de Aquiles do seu concorrente — ou calcanhares, afinal, pode ser que ele tenha mais de um ponto fraco — e ofereça isso ao público-alvo.

Atuar para preencher as lacunas que o seu concorrente deixa é uma estratégia eficiente para se diferenciar comercialmente e conquistar o consumidor. Aproveite também para aprender com esses erros e jamais repeti-los com seus clientes.

7.3. O que a sua empresa tem de especial em relação aos seus concorrentes?

Esse é o foco. Depois de conhecer os concorrentes, avalie objetivamente o seu produto, serviço e o conceito que seu negócio está se propondo a oferecer ao público-alvo. Identifique em que aspectos ele é melhor na comparação com a concorrência e direcione parte da sua estratégia de marketing para ressaltar essas características. O consumidor pode criar uma expectativa positiva de que a sua empresa realmente tem algo melhor a oferecer, e decidir dar uma chance a ela.

Inclusive, o consumidor é considerado um verdadeiro polígamo. Isso significa que ele não é fiel a uma empresa ou marca. Ou seja, sempre que vê uma oportunidade de se beneficiar ao tentar um novo produto, ele deixa o fornecedor anterior e testa essa nova alternativa. Ao estabelecer um diferencial competitivo, você pode receber esses “clientes migrantes”.

Mas não se esqueça: não basta fisgar o consumidor. Quando ele vier, esteja preparado para entregar exatamente o que ofereceu. Aliás, o melhor é até mesmo superar as expectativas. Assim você fecha a venda, conquista e fideliza o cliente que ainda fará propaganda do seu negócio para seus amigos.

Paixão, vontade de vencer, criatividade, desejo de deixar sua marca no mercado — todos esses ingredientes são essenciais a um empreendedor. Com conhecimento e determinação, é possível superar esses obstáculos e criar um negócio de sucesso.

Gostou do post? Quer ter acesso a outros conteúdos como este em primeira mão? Então, assine a nossa newsletter e receba sugestões e temas imperdíveis em seu e-mail!



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *