Abrir um negócio: 10 conhecimentos de contabilidade

Tempo de leitura: 7 minutos

A contabilidade é um dos setores mais importantes para o sucesso de uma empresa. Por meio dela, são realizados trabalhos minuciosos referentes às análises fiscal, tributária e trabalhista.

Todas essas áreas auxiliam o empreendedor a tomar decisões determinantes para o bom andamento do negócio. Por esse motivo, é indispensável adquirir alguns conhecimentos de contabilidade.

Porém, muitos empresários que desejam montar o seu próprio negócio não fazem a mínima ideia de como fazer a contabilidade da sua empresa. Saiba que algumas informações básicas podem fazer muita diferença no momento de avaliar contas e documentos.

Se você está abrindo a sua empresa ou se mantém há pouco tempo no mercado, continue lendo este post, pois listamos alguns conceitos que vão te ajudar a ter uma noção básica de contabilidade:

1. Conceito de contabilidade

A contabilidade é uma ciência que estuda as variações dos direitos, das obrigações e do conjunto de bens das pessoas físicas e jurídicas. Usando essa ferramenta de gestão, o empreendedor toma decisões, registra informações e controla o seu patrimônio.

2. Definição de patrimônio

Patrimônio é o conjunto de bens de uma pessoa física ou jurídica. Ele se divide em 2 partes:

  • uma chamada de ativo, que se trata dos bens e dos direitos;
  • e a outra de passivo, no qual se incluem as obrigações.

Veja uma relação do que é considerado bens, direitos e obrigações conforme a contabilidade:

2.1. Bens

Consideram-se bens tudo o que possui valor econômico e que pode ser convertido em valores financeiros. Em outras palavras, são coisas úteis e capazes de satisfazer as necessidades das pessoas e das empresas.

Nessa categoria se encontram os bens móveis, imóveis, tangíveis e intangíveis.

2.1.1. Bens móveis

Os bens móveis são objetos concretos e que podem ser tocados.

2.1.2. Bens imóveis

Os bens imóveis são aqueles que não podem ser removidos do local onde estão.

2.1.3. Bens tangíveis

Os bens tangíveis são aqueles que constituem uma forma física e sólida.

2.1.4. Bens intangíveis

Os bens intangíveis são aqueles que não podem ser tocados, e um deles é a marca.

2.2. Direitos

Os direitos são, basicamente, os recursos que a empresa tem para receber. Entre esses direitos, estão as duplicatas, os aluguéis e as contas a receber.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

2.3. Obrigações

As obrigações, geralmente, são as dívidas da empresa, ou seja, os valores a serem pagos a terceiros. Algumas dessas obrigações são: salários e duplicatas a pagar.

3. Balanço patrimonial

O balanço patrimonial serve para identificar o quanto em valores a empresa dispõe em um determinado momento. Para calculá-lo, é necessário saber o que a empresa tem e o que ela deve. Os elementos a serem analisados podem se encaixar nos bens ativos e passivos.

Veja uma breve explicação desses 2 tipos de bens:

3.1. Ativos

Os ativos são a parte positiva da posição patrimonial, a qual identifica onde os recursos foram aplicados. Eles são divididos em 2 categorias, que são:

  • ativos circulantes: dinheiro disponível no caixa, duplicatas e contas a receber;
  • ativos não circulantes: dívidas e investimentos a longo prazo.

3.2. Passivos

Os passivos são as origens de recursos representados pelas obrigações assumidas perante terceiros. Também são classificados em passivos circulantes os empréstimos a curto prazo, as contas a pagar e os salários. Já os ativos não circulantes são os empréstimos e as dívidas a longo prazo.

4. Patrimônio líquido

No final de todas as contas, o resultado mostrará qual é o patrimônio líquido da empresa. A conta que feita é, basicamente, ativo − passivo = patrimônio líquido.

5. Demonstração dos Resultados de Exercício

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) detalha os resultados obtidos em um período. Assim, é possível saber se a empresa obteve lucro ou prejuízo. Então, será possível visualizar a viabilidade econômica para fazer certos investimentos.

6. Análise do fluxo de caixa

A análise do fluxo de caixa também deve ser feita por todos os empreendedores, pois é com essa ferramenta que será possível visualizar o dinheiro que entra e que sai do caixa.

7. Capital de giro

Capital de giro é o valor necessário para manter a empresa em funcionamento. Deve-se prestar muita atenção a esse valor, pois, se houver uma diminuição nas vendas ou aumento da inadimplência, a empresa terá que usar esses valores para continuar trabalhando.

8. Preços de produtos e de serviços

O preço a ser cobrado pelos serviços ou pelos produtos fornecidos também é de extrema importância na hora de abrir uma empresa. A parte de precificação deve ser feita junto com a contabilidade da empresa.

A análise contábil a ser feita antes de definir o preço de venda deve conter:

  • os custos de produção;
  • a comercialização;
  • os tributos que incidem sobre o produto;
  • os gastos com distribuição e com marketing do produto.

9. Ativos permanentes

Os ativos permanentes são um grupo de contas de recursos aplicados em bens e direitos duradouros, os quais são destinados ao funcionamento normal da empresa. Entretanto, os ativos permanentes também perdem o seu valor. Esse processo pode ser chamado de depreciação, amortização ou exaustão.

Veja uma breve explicação dos 3 termos:

9.1. Depreciação

É a diminuição do valor dos ativos tangíveis que é provocada pelo desgaste ou pelo tempo de uso.

9.2. Amortização

Trata-se da redução do valor dos ativos intangíveis por duração de prazo limitado.

9.3. Exaustão

Significa a redução do valor do ativo pela exploração dos seus recursos naturais que se esgotam.

10. Escolha do regime tributário

Uma das tarefas mais complicadas para todos os empreendedores é escolher o modelo de tributação mais adequado. Caso opte pelo regime fiscal mais caro, os valores despendidos com impostos podem ser maiores do que o esperado, e a empresa poderá sofrer com cargas tributárias excessivas. Por essa razão, é necessário conhecer um pouco de cada regime.

10.1. Simples Nacional

As empresas que se enquadram nesse regime são as microempresas ou de empresas de pequeno porte.

10.2. Lucro Presumido

Nesse regime de tributação, é necessário que a empresa possua alguns requisitos, e entre eles estão:

  • ter um faturamento menor do que R$ 78 milhões anuais;
  • não possuir nenhum rendimento de capital vindo do exterior;
  • e não ser atuante no mercado financeiro.

10.3. Lucro Real

Esse é o regime mais complexo de todos e são obrigadas a se adequar a ele todas as empresas que faturam mais de R$ 24 milhões por ano, instituições financeiras, empresas privadas e as que tiverem rendimentos vindos de outros países.

Enfim, os conceitos citados são relativos a apenas alguns dos conhecimentos de contabilidade que um empreendedor deve ter para abrir o seu negócio e conseguir se manter por dentro dos assuntos financeiros da sua empresa.

Caso você seja um desses empresários e ainda tenha alguma dúvida, contrate um contador ou uma empresa que ofereça um software de gestão, e ficará mais fácil administrar a parte contábil da sua empresa.

Se você gostou deste post sobre conhecimentos de contabilidade, curta a nossa página no Facebook e acompanhe as nossas atualizações!



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *