6 cases de loja virtual que você precisa conhecer

Tempo de leitura: 6 minutos

A chamada “revolução digital” alterou profundamente a forma como nos comunicamos, consumimos e, claro, fazemos negócios. Por mais que ainda estejamos nos adaptando a esse novo sistema, sem saber ao certo as implicações que tudo isso vai ter no futuro, uma coisa é certa: o mundo nunca mais será o mesmo!

O velho jargão da área de vendas dizia que o bom vendedor era aquele que estava no lugar certo e na hora certa. Graças à ampliação do acesso à internet e ao avanço da tecnologia, o vendedor moderno pode estar em todos os lugares, o tempo todo. A loja virtual permite que vendamos para o cliente no conforto de seu lar, no trabalho e até mesmo na fila do banco.

Não é difícil imaginar o quanto essa ferramenta foi libertadora para o pequeno empreendedor e o quanto ela foi responsável pelo sucesso estrondoso de centenas de negócios que, hoje, lideram um mercado que em 2017 deve movimentar cerca de 60 bilhões de reais apenas no Brasil.

Por isso, dedicamos o artigo de hoje a analisar 6 casos de sucesso no âmbito das lojas virtuais, desde as gigantes até as menores, sempre na esperança de tirar valiosos ensinamentos que certamente nos ajudarão a encontrar nosso próprio caminho. Confira a seguir!

Netshoes

Talvez um dos cases mais significativos de sucesso no e-commerce seja da Netshoes. A empresa nasceu como uma pequenina loja de calçados em São Paulo em 2000. Na época, o empreendimento contava com apenas dois vendedores, além dos dois sócios. Em 2015, já era considerada a maior loja virtual de artigos esportivos do mundo. O que aconteceu nesses 15 anos?

Quem vê de fora não consegue enxergar que a empresa teve muitas dificuldades para chegar no topo. Antes de apostar no comércio eletrônico, a Netshoes teve que fechar uma loja seis meses depois da inauguração e quando, finalmente, passou para o ambiente virtual, ficou dois meses sem vender absolutamente nada pela rede.

Apenas no terceiro mês de operações pela internet é que venderam o primeiro par. No mês seguinte, venderam dois pares e os sócios se animaram com o aumento de 100% nas vendas online. Aos pouquinhos, foram apostando na internet e, em 2007, fecharam a loja física e passaram a se dedicar exclusivamente às operações na rede.

A Netshoes é, até hoje, uma empresa que não dá lucro. Um modelo inusitado para um negócio que fatura 1,3 bilhão de reais ao ano. Isso acontece por conta do alto custo de se manter no topo: investimentos vultuosos na satisfação do cliente, nos preços competitivos e na divulgação da marca. Trata-se de uma estratégia de crescimento agressivo! Em março de 2017, a Netshoes fez o pedido para abrir seu capital na bolsa de Nova Iorque.

O que podemos aprender com a Netshoes? Nem sempre o lucro deve ser colocado em primeiro lugar. Pode ser que, antes, o mais importante seja consolidar sua posição e estabelecer o valor de sua marca!

Amazon

Não poderíamos falar de cases de sucesso no comércio eletrônico sem mencionar a gigante americana, considerada como uma das 70 marcas mais valiosas do mundo. A Amazon surgiu em 1995, praticamente junto com a popularização de computadores pessoais e da internet.

A loja apresentava uma proposta extremamente simples, que logo caiu nas graças do público: vender livros físicos por meio da internet. A escolha do produto foi estratégica, na medida em que tudo o que você precisa saber sobre um livro cabe dentro de uma descrição sucinta: autor, tradutor, editora, medidas, peso, material da capa etc. Ninguém precisa experimentar um livro para saber se vai caber em suas mãos.

Hoje em dia, além de comercializar uma infinidade de produtos, a Amazon já trabalha com livros de existência 100% virtual e também comercializa seu próprio aparelho, desenvolvido especialmente para rodar esses livros digitais. Trata-se de um belíssimo exemplo de uma empresa que, num momento inicial, adaptou-se à internet para, depois, fazer com que a internet se adaptasse a ela. Simplicidade foi o nome do jogo!

Adriano Rodrigues Rainho

Adriano Rainho, conhecido na rede como o rei dos gibis, vende histórias em quadrinho consideradas como raridades. Apaixonado por quadrinhos desde a infância, o empreendedor juntou o útil ao agradável. O resultado dessa união foi ótimo: hoje em dia, os negócios vão tão bem que ele chega a exportar para países como Espanha, Estados Unidos e Portugal.

Se tivesse apostado em uma loja física, talvez Adriano tivesse encontrado obstáculos maiores pela frente, visto a especificidade de sua atuação. Na internet, no entanto, é possível conectar-se com pessoas do Brasil inteiro e até mesmo de outros países, fazendo com que um pequeno nicho se torne um mercado com grande potencial.



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

A história de Adriano nos ensina que, quando estamos falando de internet, mercado pequeno simplesmente não existe! Podemos explorar as demandas mais específicas com grande potencial, desde que saibamos nos tornar uma referência dentro do nicho.

Dakota Parts

Julio Peres tinha muitos anos de experiência no setor automotivo quando resolveu diversificar, passando a vender seus produtos também pela rede. Cinco anos depois, a empresa passou de 3 para 140 funcionários.

Julio garante que o segredo está na credibilidade que passa para os clientes desde a época da loja física, passando pelos vários anos em que venderam muito no mercado livre.

Outros fatores fundamentais foram a qualidade do atendimento e o preço competitivo, absolutamente fundamental para quem quer se destacar no comércio eletrônico.

Presentes do Passado

O especialista em implosões Jorge Manuel Diniz Dias encontrou sua verdadeira vocação já com mais de 50 anos de idade, quando disponibilizou parte do seu acervo de 600 mil discos de vinil à venda na internet. Sua meta é chegar a uma receita anual de 500 mil reais com sua loja listada no mercado livre.

A Presentes do Passado nos dá mais um exemplo do quanto a paixão que dedicamos a determinada atividade (nesse caso, a paixão por colecionar discos) pode fazer com que nos tornemos uma referência dentro de determinado nicho na rede. Isso já seria começar com o pé direito!

Mazaweb

Na contramão da estratégia adotada pela gigante Amazon, a Mazaweb resolveu oferecer de um tudo em sua loja virtual: etiquetadores de preço, lenços de todos os tipos, óculos e mochilas. Foi assim que os sócios Renato Garcia e Alexandre Garibaldi (ex Hering e Banco Real) conseguiram conquistar a web.

Histórias como essa nos dão a certeza de que não existem fórmulas para o sucesso do empreendimento online. A internet é um espaço amplo e generoso para quem atua com paixão e trabalha duro.

E aí, tem algo a acrescentar? Compartilhe sua experiência conosco nos comentários e venha participar desse debate!



Crie uma loja virtual descomplicada por apenas R$ 20/mês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *